Recentes

DESKTOP ANALISA: "É Pra Mais de Três", lançamento do Trio Pérolas

Hoje trazemos mais uma análise para vocês. Dessa vez o disco escolhido foi "Pra Mais de Três" do Trio Pérolas. Constituído pelas vozes de Cinthya Farias, Fernanda Souza e Késia Mara, o trio foi formado em uma promoção realizada por Vanilda Bordieri no momento de gravação do disco "Na Tua Vontade", ambas ganharam a promoção e junto com mais algumas vozes, participaram do disco na canção "Coral das Mulheres". 



"Pra mais de três" foi lançado com o selo Prisma Brasil Music e tem produção musical de Ronny Barbosa e projeto gráfico desenvolvido pela agência Observ Design. As composições são de Nikolas Ribeiro, Leandro Borges, Tangela e outros. Leandro Borges faz participação na faixa titulo do disco. 
Tendo dito tudo isso, vamos à análise.  

A faixa que abre o disco já é bem interessante pela temática que aborda. "Pra mais de Três" é uma composição de Leandro Borges que também canta com trio, versa sobre o período que Eliseu profetizou sobre Israel e houve grande fome em Samaria. Quando o rei da Síria Bem-Hadade agrupou seu exercito e decidiu cercar Samaria, a cidade ficou fechada, havendo muita fome, visto que nesse período ninguém saia ou entrava da cidade. Na ocasião havia leprosos que ficavam na entrada da cidade, esses leprosos decidiram ir até o lugar onde estavam o exercito sírio e ao chegar lá não encontraram uma alma viva sequer, pois o Senhor havia feito com que o exército ouvisse som de cavalos e carruagens rumando em direção do assentamento do exercito. A canção focaliza na profecia proferida por Eliseu sobre a abundância em Samaria. A produção é muito boa e atende muito a interpretação do quarteto (2 Reis 7). A junção de vozes do trio Pérolas é muito boa e harmoniosa, porém nessa faixa, tive a impressão que elas estavam fazendo uma participação e não o inverso (srsrs). Muito boa para conjuntos de louvor, essa faixa carrega a responsabilidade de ser uma das quatro melhores do disco. 

"Maior que o barco" é a segunda música do disco. Ao som de rabeca, um backing afinado e calmo e batidas firmes a canção é iniciada. Com direito a paradinhas, a faixa que já ganhou versão áudio visual, fala a respeito da presença de Jesus na nossa vida e seu agir em nossos problemas, fazendo alusão à ocasião que o mestre esteve no barco com seus discípulos e acamou a tempestade. Podemos sentir a total harmonia entre as vozes nessa canção, o trecho que diz: “É barco que vem, é barco que vai...” é arrepiante e fica marcada na memoria. Quem assina essa canção é Tângela. 

Chegamos a uma das melhores canções do disco, “Sê Fiel”. Essa faixa é introduzida por uma declamação que já anuncia a mensagem da composição. Em coro o trio canta o titulo do disco e já mostram do que se trata. Falando sobre a provação dos três jovens levados cativos para a Babilônia e lá foram lançados na fornalha por serem fieis a Deus. Essa é a música onde a afinação e timbragens de vozes são ainda mais perceptíveis. A produção tem uma pegada pop e o contra baixo aparece bem audível em alguns pontos, isso é muito bom. O backing vocal composto por Hedy Barbosa e Paulo Zuckini fez toda a diferença. Existe um contra nessa faixa. Ela é muito extensa e por alguns momentos a gente pensa: “Poxa vida, que fôlego. Quando acaba?”. Contudo, isso não tira a beleza da mesma que fica muito boa para conjuntos. Quem assina a composição é Nikolas Ribeiro. 

Ao som de guitarras e leves batidas, chega “Avance”. Bem pop, outra composição de Leandro Borges fala sobre a fidelidade do crente e ação de Deus como resposta. Muito gostosa de ouvir e cantar essa faixa enaltece a encoraja algumas das bem aventuranças deixadas por Jesus no sermão da montanha (Mateus 5). Bem alegres, as “Perolas” mostraram muita afinação e o backing duplo se saiu muito bem nessa faixa. Merece replay. 

Enfim, a canção que considero a melhor do disco. “Dagom Caiu”. Ainda não tinha visto uma canção que falasse sobre essa mensagem que se encontra em 1 Samuel 5. Onde a arca da aliança que representava a presença de Deus foi levada pelos filisteus durante uma batalha que ceifou a vida 30.000 soldados e os dois sacerdotes Hofni e Finéias. Com isso, quando Eli descobre que seus filhos morreram na guerra, cai da cadeira e quebra o pescoço morrendo na queda. A nora de Eli também morre no parto de seu filho que recebeu o nome de Icabode, que significa foi-se a glória, em virtude da arca ter sido levada. No capitulo 5 de 1 Samuel, Deus humilha Dagom em seu próprio templo e logo depois os seus servos, mostrando a presença e o poder de um Deus que é grande e único. A canção tem uma produção bem trabalhada, com bom arranjos de teclados e batidas bem posicionadas. O backing que acompanha o trio também aparece em momentos propícios e podemos ouvir ao fundo um tímido saxofone. Quem assina é Nikolas Ribeiro que conseguiu surpreender com a melhor canção do disco. 

Na sequência temos a sexta faixa que tem por titulo “Mais uma Vez”. Quem assina é Tony Ricardo. Com bons arranjos e um violão bem audível em algumas partes, essa música é muito boa de ouvir, porém não é uma de minhas preferidas. Os teclados são bem posicionados; as batidas são bem sequenciadas e a guitarra aparece no refrão juntamente com a rabeca. A canção tem uma modulação e uma ponte bem forte. Essa é boa para conjunto de louvor. 

“Jerusalém” é uma de minhas favoritas nesse CD, os agudos de Fernanda Souza são fascinantes, ela realmente tem um timbre de voz muito bonito. Essa canção fala a respeito da promessa feita por Jesus, o céu que Ele foi preparar. Bem suave e calma, a produção é bem harmoniosa e Ronny consegue usar muito bem o teclado, que parece ser sua especialidade. A intepretação do trio é o forte nessa faixa, fazendo dela uma das mais belas e emocionantes de todo o disco. Vale a pena ouvir e cantar. O replay não pode faltar. Essa é uma composição de Patrick Mendes. 

“Mistério da Trindade” é uma composição escrita por Vanilda Bordieri. A produção conta com arranjos que iniciam em violão e timidamente vai ganhando força. A intepretação do trio ajuda no compasso. No refrão a harmonia ganha outra cara e mais instrumentos aparecerem. Um peso é colocado na faixa, batidas firmes são inseridas e a guitarra surge dando mais beleza ao conjunto. A canção faz jus à adoração a Deus e no final trio encerra com um arranjo muito bonito. 

A nona faixa do disco chama-se “Meu Refúgio”. Não gostei muito dessa canção, embora acredite que com outro arranjo ela fique melhor, e até com outro posicionamento das vozes, nessa música a timbragem não me agradou muito. A mensagem transmitida é muito bonita e fala a respeito de adoração a Deus, de um coração rendido e quebrantado. Para encerrar a faixa o trio canta o clássico “Porque Ele Vive” da harpa cristã. Quem compôs foi Celso de Cunha Barbosa. 

Para fechar o disco o trio optou por interpretar a canção “Em Fervente Oração”, uma de muitas belas canções do hinário assembleiano. Com uma pegada bem raiz, a música ficou bem gostosa de ouvir. As irmãs do circulo de oração já podem inserir essa faixa em seus repertórios. 


Enfim, temos uma boa entrada do Trio. Souberam mesclar entre pop pentecostal e congregacional e montaram um bom repertório. A produção é muito bonita e os arranjos deram conta do recado mesmo não havendo grandes detalhes e orquestra. 

Para finalizar fazemos um agradecimento especial ao nosso amigo e colunista do DG, Werisleyk Souza que nos presentou com esse disco. Obrigado.

Alisson Lima | DESKTOP GOSPEL

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.