Recentes

DESKTOP ANALISA: "Adorador 3 - Além das Circunstâncias" de Fabiana Anastácio

Depois de alguns dias sem atualizar o Portal, trazemos para vocês, nossos fieis seguidores, a análise do disco de Fabiana Anastácio. 


Seguindo seu chamado, Fabiana  nos apresenta esse ano de 2017 o disco “Adorador 3", que traz aquele adorador que adora “Além das Circunstâncias”. A voz que conquistou o público pentecostal não decepcionou neste disco e segue fielmente seu estilo e jeito de cantar. O disco tem produção de Melk Carvalhedo, Henrique Oliveira e Fabio Anastácio. O projeto gráfico é da agência Observ Design. 

Alertamos aos amigos leitores que essa é uma opinião individual e respeitosa a respeito do disco. Vamos à análise. 

Abrindo o disco temos a faixa Além das Circunstâncias. A canção inicia com batidas fortes, um baixo bem perceptível e violinos. Quando Fabiana começa a interpretação, violão e teclado a acompanham seguidos pelo baixo e bateria que entram logo após, anunciando mais alguns arranjos em violino. O backing vocal é muito afinado e entra em lugares estratégicos, poderia ser mais forte e firme, porém, tem sua beleza pautada na leveza. No refrão o arranjo de teclado é muito bonito e os de violinos também chamam atenção. A composição é de Wilson Silva e traz a mensagem de um adorador que persiste na adoração em diversas situações. Essa canção é muito bonita e boa de ouvir, porém torna-se repetitiva, tem um refrão curto. A beleza de arranjos e interpretação são os pontos fortes. Os grupos já podem inserir em seus repertórios. Essa é uma produção de Melk Carvalhedo. 

A segunda faixa do álbum  é a minha favorita. Momento Triunfal é iniciada com alguns loops que são seguidos por violão e violinos. Os teclados aparecem quando Fabiana começa a cantar e com ele se mostram mais alguns arranjos de violão e violino. Sabe aquele violão bem raiz? É esse tipo de arranjo que temos aqui. A simplicidade desses arranjos chamam toda atenção. A letra é de George de Paula e versa sobre o trabalhar de Deus em nossas vidas, que é continuo e determinado por ele, contudo, nossa adoração refletirá no agir do Senhor. Adorar em meio à dor é algo difícil, porém necessário. A canção ganha uma ponte e o backing mais uma vez poderia ter sido mais firme e mais audível. As batidas são fortes e acompanham a cantora por toda a faixa, bem como o violão. Fabiana faz uma interpretação bem linear e percebemos isso em todo o disco. Essa é uma canção que pede uns arranjos vocais, e quando pensamos que a cantora soltará um agudo ou arranjo, isso não acontece. A produção é de Henrique Oliveira.

Cada promessa é a faixa pop pentecostal do disco e já chama atenção pelos loops e batidas firmes. Os arranjos são bem posicionados e a guitarra chama atenção. O backing nessa faixa é mais participativo. No refrão a canção ganha novos arranjos e as batidas são mais leves. Josias Teixeira e Junior Maciel são quem assinam a composição que falam sobre as promessas e fidelidade de Deus. A letra é curta e se repete, o destaque aqui vai para a produção que é de Melk Carvalhedo. 

Minha outra canção preferida do disco: Quem ficou, ficou. Quem partiu, partiu. Esse é um clássico gravado anteriormente por Shirley Carvalhaes no ano de 1993. Pentecostal, a composição é de Mário Fernando e versa sobre o evento mais aguardado pela igreja, o arrebatamento. A letra é profética e traz uma alerta ao povo de Deus. O inicio da canção é feito por batidas fortes, um violino e flauta. Fabiana faz uma introdução bem chamativa e solta alguns agudos, um eco é inserido e eu não entendi a necessidade disso (ok?). A produção de Henrique Oliveira é bem chamativa e não decepcionou nessa versão que vem muito bem orquestrada. Após a introdução, a canção vira um bolero bem arranjado e gostoso de ouvir. Esse é aquele pentecostal que as irmãs do “coque” pedem e os jovens dos “mixterios” (ALELOOOIA, rsrsrs) gostam. Os instrumentos de sopro chamam atenção e os arranjos em violino e bateria são bem harmoniosos. Fabiana trouxe uma boa interpretação e uma moderna versão do clássico. Grupos de todas as igrejas, jovens, irmãs e até crianças já mandem imprimir essa letra e comecem a ensaiar, pois essa é boa demais. Papoca o replay ai meu irmão, aleluiaaaaaaa! 

Em homenagem as mulheres que cuidam de seus lares e buscam pela proteção divina para sua família, chega Mulher Marcha. A mensagem aqui é a de determinação e continuidade da obra desenvolvida por essas mulheres que oram e lutam. Não é atoa que são chamadas de “colunas da igreja”. Versando sobre algumas personagens bíblicas a canção é assinada por Alisson Santos (E ai meu xará? Sei nem se lerá isso lkkkkkk). A produção é de Henrique Oliveira e é bem harmoniosa. Violão, baterias e violinos são bem inseridos e o baixo aparece em alguns pontos. O backing nessa faixa é bem mais forte e fez toda a diferença. Fabiana faz uma declamação e convida as mulheres para continuarem marchando e profetizando provisão divina sobre seus lares. A ponte é o auge da faixa e é aquele momento onde a gente sai rodando e adorando com as irmãs (hahah, me deixa). Muito boa para interpretações solos e grupos essa canção também merece nosso replay. 


Fiel Adorador chega chegando com uma batida forte e teclados que são acompanhados de violino. A produção é de Melk Carvalhedo e ganha uma leveza na introdução, com bons arranjos de teclado, baixo e backing mais forte e firme. O violino passeia por toda a faixa e arrepia. Seguindo a proposta de todos os seus lançamentos, Fabiana segue falando da verdadeira adoração, dos momentos difíceis que um adorador poderá passar, mas que com fidelidade verá o céu. A composição é de Wilson Silva. No final existe a inserção de uma declamação e o clássico “A mensagem da Cruz”, da harpa cristã. Essa é uma mensagem a todos os adoradores e a igreja perseguida. Replay é bem vindo. 

Em nome do Senhor começa ao som de uma guitarra bem rasgada e arranjos bem rock roll, mas isso muda e uma sanfona é inserida. Melk Carvalhedo mais uma vez se reinventando. Sabe aquela musica cheia de arranjos harmoniosos e bons de ouvir? Pois bem, essa canção traz isso. Versando sobre a história de Davi e Golias, Cláudio Louvor soube muito bem inserir a primeira pessoa no contexto e na mensagem proposta. O refrão vira um forró e a cantora profetiza à igreja. A interpretação ganha força e Fabiana saiu da linearidade e mostrou que é uma excelente cantora e que canta o que tocar. Bem grande, esse é aquele tipo de música que pedimos, refrão chamativo e bom de ouvir e cantar. Replay é bem vindo. Profetiza em Nome do Senhor, crente. 

Após uma sequência de canções pentecostais e pop pentecostais, chega: Em espírito e em Verdade, no estilo congregacional. Essa é uma composição de Moisés Cleyton e é cantada em forma de oração, pedindo ao Senhor que nos molde e cumpra a vontade dele em nós. A produção de Melk Carvalhedo foi boa e traz alguns loops e arranjos em meia lua em alguns pontos. A canção tem uma ponte e a interpretação de Fabiana vem carregada de empoderamento e emoção. Para ouvir e refletir, essa canção merece replays em nossos momentos de intimidade com Deus. 

Prefiro ser Fiel é outra faixa que da continuidade a temática do disco. Adivinhem quem é o compositor? Ele mesmo, Wilson Silva, o compositor da verdadeira adoração (rsrsrs). Essa canção fala sobre a fidelidade do servo fiel que herdará o céu. Aquele que não se envaidece e não se deixa levar pelo reconhecimento humano e bens materiais. A produção de Henrique Oliveira traz arranjos em guitarra, e alguns violinos são ouvidos na canção. A bateria nessa faixa é aquela que eu não gosto, seca e estralada. Ei irmão, o céu é bem melhor que qualquer outra recompensa. Ou não te foi dito que o salário do pecado é a morte?

Outra composição de Cláudio Louvor: Tempo de Cantar. Falando ainda sobre a adoração em meio à luta e providencia de Deus, essa faixa é profética e boa de ouvir. A produção de Melk Carvalhedo traz uma boa harmonia. Os violões são bem arranjados e o violino chama atenção juntamente com o teclado. As batidas são fortes e firmes. O backing vocal tem mais força e aparece muito bem nessa faixa. O refrão conta com uma segunda voz feita por Fabiana em alguns pontos e isso ficou muito bom. Desse modo, o que não poderia faltar nessa faixa? Aquele forró bem moderno, com batidas firmes, viola, e pandeiro. Ei irmão, vai cantando ai que Deus já entrou na tua casa. 


Oração da Família. Outra faixa congregacional que não tem muitos destaques. A produção é simples e deixa toda atenção para mensagem que é direcionada as famílias. Essa é uma composição de George de Paula e a produção é de Fabio Anastácio. 

Compensando a canção anterior chega: Ah, que saudade! Essa é minha outra preferida. Sabe aquelas músicas que emocionam de inicio a fim? Pois bem, essa é uma. Logo em seu início já temos arranjos bem raiz em teclado e demais instrumentos. A cantora já mostra que a saudade mencionada no titulo é dos hinos antigos, do culto e do fervor da adoração do passado. Fabiana inicia cantando o clássico “O rei está Voltando” da Harpa Cristã e em seguida entoa de forma emocionante: “Povo Barulhento”. O clima muda e chega o emocionante refrão da canção. A letra é de Suedson Damasceno (obrigado meu filho, por nos apresentar essa maravilha) e versa sobre como aconteciam os cultos e os momentos musicais na igreja. Sem fazer comparação, a cantora declara a saudade que muitos ainda sentem e fala que é resultado dessa igreja que orava e buscava mais, que tinha suas marcas e características. A faixa é fechada com mais um clássico do hinário Assembleiano. Eu já dei muitos replays nessa canção. E você? Também sou resultado dessa igreja de oração e sinto uma saudade medonha. 

Graças ao Cordeiro é a faixa de adoração ao único digno de toda ela. A produção trouxe uma batida estourada e seca. Os arranjos em violão e teclado são bons e gostosos de ouvir. O backing vocal é afinado, mas falta alinhamento. Essa canção parece um acústico. Quem assina é Dill Nazireus e a produção é de Fabio Nascimento. 

Encerrando o disco temos outro clássico que foi gravado por Shirley Carvalhaes em 1999. Marcas da Dor é uma composição de Geovanny Aires e narra de forma emocionante o momento da crucificação de Jesus. É emocionante como a canção nos transporta para aquele momento e nos faz refletir sobre o sacrifício da graça, da salvação. A produção é de Melk Carvalhedo. Os arranjos em violino, teclado, baixo e bateria são arrepiantes. A cada frase sente-se a evolução da canção. A parada clássica dos instrumentos é curta, mas emociona e arrepia. A interpretação de Fabiana deixa de lado a linearidade e ouvimos uma cantora emocionada e cheia de Deus. O replay é bem vindo e essa entra para o rool das melhores faixas do disco.



O disco cumpriu seu objetivo e seguiu a temática. Fabiana mostrou que sabe escolher repertório e mais uma vez trouxe um álbum repleto de boas canções e uma produção muito boa, com alguns deslises. A arte do CD é bem atraente e tem cores quentes e equilibradas. A interpretação da cantora é boa, mas linear, sentimos falta de alguns arranjos e uma pegada mais diferente e ousada em alguns momentos. 

Fazemos um agradecimento a Todah Music, que na pessoa competente de Gérson Nascimento, gentilmente nos enviou uma cópia do disco. Deus abençoe-os e os façam prósperos. Essa obra precisa de mais pessoas que entendam, reconheçam e apoiam os blogues que fazem a grande divulgação do meio gospel. 

Alisson Lima | DESKTOP GOSPEL

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.