Recentes

Desktop Analisa: "Obra Prima", lançamento de Damares


Damares é na atualidade uma das maiores cantoras da música gospel, tendo seu público estendido também na música secular brasileira. A cantora é também uma das que mais arrecadam com vendas de discos e suas canções são tocadas por todo o Brasil e fora dele. 

Nesse ano Damares nos apresenta o disco "Obra Prima", o terceiro lançamento inédito da cantora com o selo Sony Music Gospel. O disco conta com produção de Melk Carvalhedo e Rogério Vieira e seguindo o estilo da cantora com algumas mudanças. O disco tem pentecostal, mas agora com arranjos de "adoração" e pop. Então, vamos ao que interessa, pois essa é grande....


Geração que Clama é a canção que abre o disco e é assinada por Anderson Freire. Acompanhada por teclado, guitarra e leves batidas, Damares introduz a canção com um declamação que já anuncia a temática da música. A canção narra alguns acontecimentos bíblicos,  a priori à ressurreição da filha de Jairo, movida pela fé do homem que clamou a Jesus, logo após entra em cena a mulher com o fluxo de sangue que abre caminho para um refrão bem elaborado. O mais interessante é o contexto da canção e a inteligência do compositor, de unir tais acontecimentos bíblicos, que narram o clamor de pessoas a Jesus, com a necessidade de uma geração que esteja pronta à clamar, esvaziar-se de si e seguir a Jesus. A melodia é gostosa de se ouvir, e os teclado com guitarras passeiam pela música que possui batidas firmes e interpretação de Damares foi muito boa. Vale vários replays, e não esqueçam "só a fé tem o poder de interromper o mestre...". 

Confesso que tomei um susto quando Damares começou a cantar Perfeito Louvor (rsrrs), mas acalmem-se, isso se deu por eu já conhecer a canção e gostar muito dela. A segunda faixa do disco é introduzida por um back que me pareceu cansado (rsrsr), acredito que algo mais forte poderia ter melhorado. Mas, quando Damares inicia a cantar isso passa. Com arranjos em guitarra, teclado e violinos acompanhados por leves batidas a canção vai ganhando formas. A santidade de Deus é enaltecida nessa faixa, e o poder de Deus é descrito. No refrão são inseridas as cordas e o violino volta de forma maestral. A ponte da canção tem uma levada envolvente. A interpretação nessa canção conta muito, e os arranjos de Back, atrelaçados a boa produção e pegada envolvente, fazem de Perfeito Louvor umas das melhores do álbum. Os conjuntos de jovens vão amar essa versão (rsrsr). Quem assina é Anderson Freire. 

Ressuscita foi a faixa escolhida para ser single. A canção é bem grudenta (rsrsr), e isso é um ponto positivo. A produção é bem simples  e os destaque são para os arranjos de guitarra e violinos que são fortalecidos pelas batidas fortes em alguns pontos. Esta é uma canção de encorajamento, de força e mostra a soberania de Deus diante da morte, seja ela espiritual, física e também de nossos projetos. Quando tudo parecer estar perdido, lembre-se "a história não termina a assim, tu és meu filho e Eu  sou  teu Deus". Quem assina é Moisés Cleyton. 


Chegamos a quarta faixa e titulo do disco. Obra Prima tem uma introdução forte, com baterias, violinos, teclados e guitarras bem audíveis, o back inicial também traz um brilho à canção. A música vai avançando e ganhando força e os teclado são bem presentes nessa canção com arranjos bem pensados que dão força ao back e aos violinos. A letra fala a cerca de Jesus, a "Obra Prima que desceu do pai". Adjetivos não são paupados e o mais interessante é a contextualização e segmento da canção. Embora a canção tenha um refrão forte, não conseguimos fazer uma separação do mesmo, com o restante da canção. Damares interpretou muito bem essa canção e mostrou força e boa respiração. A música é assinada por Tony Ricardo e encerra declarando que Jesus, só "Ele é o Rei da Gloria". 

A ansiedade para ouvir essa faixa foi tamanha. Sou o que Sou é composição de Cláudio Louvor e isso me despertou uma curiosidade, por admirar bastante as composições do mesmo. Já adianto que não me decepcionei. Interpretada em primeira pessoa, a canção mostra a soberania de Deus e arrepia de inicio ao fim. É empolgante ouvir essa música. O ritmo dela é agradável. O andamento é bom e a evolução da mesma é envolvente. As guitarras  dão vida aos arranjos juntamente com a bateria. No refrão a inserção de meia lua me fez lembrar canções do CD "Deus que Faz". Novamente a interpretação de Damares, em um tipo de composição que ela nunca cantou foi muito boa, percebemos quão grande foi o prazer que ela cantou cada frase. Considero essa a melhor faixa do CD. Abuse dos replays. 

Nas mãos de Deus, uma canção de composição linda, mas que recebeu um tratamento de produção que não está à sua altura. Bem simples, os arranjos de teclado não são tão audíveis, percebemos ao fundo alguns discretos chocalhos e meia lua. A melodia é ótima e gostosa de ouvir. Bem introspectiva, a letra carrega algumas frases que marcam, como: "O que eu preciso está nas mãos de Deus" e outras. Essa é assinada por Johnny Santos. 

Chegamos na sétima faixa, e uma de minhas preferidas. Vou Louvar inicia com uma pegada bem pop e vai ganhando força. Novamente as guitarras e baterias se sobressaem, acompanhados pelo back. A canção fala a cerca do sacrifício de Jesus na cruz e traz um conjunto melódico gostoso de ouvir. O refrão é profético e bem forte. Bem pra cima, a canção também é diferente do que Damares já havia gravado, e percebemos o quanto ela se envolveu com a música, se entregando na interpretação. Merece replays, e quem assina é Jodson Sousa, Kassia Sousa e Daiane Silva. 


Na Orla do Teu Manto é a canção adoração e introspectiva do álbum. Essa também é uma composição de Moisés Cleyton. Bem envolvente, a canção não possui arranjos pesados e nem exagerados. Baseada na história bíblica da mulher do fluxo de sangue, a faixa tem um refrão bem grudento, diga-se de passagem. Vale alguns replays. 

Assim como "Perfeito Louvor", Brilha foi introduzida com um back, mas desta vez algo mais forte e afinado. Temos aqui um conjunto de arranjos bem feitos, e no inicio ouvimos uma tímida flauta doce. Violinos, demais cordas e teclados não foram poupadas. Essa canção rende gloria ao único merecedor dela, e em alguns momentos ela emociona pela beleza da letra e interpretação. Embora a palavra brilha seja repetida várias vezes, isso não tira a beleza da mesma. A ponte da canção lembra alguns clássicos e por muitas vezes me senti ouvido canções dos CDs "Apocalipse", "Deus que Faz" e "Diário de um vencedor". Parece que Melk (tenho certeza que foi ele rsrsr), juntou as belezas destes CDs e criou os arranjos desse hino. Os cantores das igrejas brasileiras vão amar essa canção, e os grupos agradecem. A composição novamente é de Claudio Louvor, que deixou sua marca e encerra sua participação nesse CD de forma "brilhante" (rsrsr). É uma de minhas prediletas e já recebeu o coração no reprodutor de áudio (kkk). 

Chegamos a outra composição de Moisés Cleyton. Ouve Senhor é a décima primeira faixa do álbum. Temos um conjunto de composição e produção simplório. A canção é bem introspectiva mas ganha força na ponte, onde os violinos são inseridos e ela ganha força, que cresce a cada frase. Quando volta para o refrão temos uma paradinha que arrepia, e interpretação da cantora foi novamente o ponto forte. 


Sobrevivi é assinada por Johnny Santos e é uma das mais belas do CD. Muito boa de ouvir, a canção a primeiro momento me trouxe a sensação de já tê-la ouvido anteriormente. O titulo é bem sugestivo e apresenta a temática do hino. Na letra temos a inserção de um contexto bíblico. Novamente me senti ouvindo canções de Cds anteriores da cantora, e isso me agradou muito. A produção é bem simples e o refrão é muito bom de se ouvir. 

Outra canção que me deixou ansioso foi A glória é tua e o motivo, acho que todos já compartilham (rsrsr). Composição de Leandro Borges, a canção rende gloria ao único Deus. A letra é bem forte e tem uma introdução bem leve, que ao som de teclados encaminha a canção para uma parte bem pesada e mais forte. As frases destacam que a gloria é de Deus, e que não devemos e não venhamos querê-la para nós. O refrão da canção não é tão longo e nem tão forte quanto a ponte e o restante da canção. Quando você pensa, "agora ela vai explodir", isso não acontece, porém a beleza e essência da canção não é perdida, afinal a "Gloria é tua Senhor". Essa entra nas preferidas e o replay é bem vindo. 

Chegamos a décima terceira e penúltima canção. Confesso que quando vi o titulo, Poema de Amor, pensei que Damares iria interpretar uma canção e dedicar a seu esposo Pr. Aldori, me enganei feio (rsrsr). A canção é umas das mais lidas e o amor aqui é aquele depositado em Jesus, o amor de Criador e Criatura. A declaração de uma adorador ao seu Deus. O solo de guitarra é realmente digno de aplausos.  Quem assina é Junior Maciel. 

Por fim temos a canção Adoremos, e que canção é essa? Assinada por Moisés Cleyton (só deu ele dessa vez rsrsrs), essa é uma das melhores do disco, e novamente a soberania de Deus é destacada. Bem envolvente, os arranjos em guitarras, cordas e principalmente violinos fazem desse conjunto uma ótima opção para grupos. O CD não poderia encerrar de outra forma, pois a canção é chiclete. A guitarra inserida na ponte que da caminho a arranjos belíssimos de teclados e violinos dão lugar a um refrão forte que cantando por uma última vez, com a inserção de arranjos vocais e outras frases na canção. É de tirar o fôlego.


O que percebemos nesse CD é o cuidado com o repertório e uma necessidade de atender um público exigente. Damares trouxe um CD que todos estão chamando de "cristocentrico", rendeu gloria ao dono e único merecedor dela. Deus foi exaltado, e a grandeza dele destacada, assim, vidas podem ser alcançadas. Acredito que esse seja o objetivo central. Vejo que Damares nunca deixou de falar de Jesus em seus discos, mas agora, de forma explicita a cantora tentou desfazer a imagem que muitos tinham dela, uma imagem criada por meros comentários infundados, e, a meu vê, maldosos. 

"Obra Prima" é  aquele disco que vale a pena você ter em sua coleção. Abaixo a preview do disco, para você ter uma prévia antes de ouvir o mesmo. Você poderá adquirir o álbum nas plataformas digitais e também em formato físico.


Alisson Lima | DESKTOP GOSPEL

18 comentários:

  1. boa analise..parabens...o cd é bom mas para mim nao supera seus antecessores..

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Somos gratos. Acho que os cantores não fazem CDs com o real intuito de superar os anteriores.

      Excluir
  2. faz a analise do tempo de excelência da cassiane tb..pf

    ResponderExcluir
  3. Respostas
    1. Que bom que gostou, continue ligadinho, iremos fazer mais ☺

      Excluir
  4. Faltou hinos de fogo. Coitadinho! Mas esse estilo é pop pentecostal. Tem que voltar pra o compositor de Agailton no próximo Cd para o ano de 2018.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sabia que eu pensei o mesmo? Faltou um forró nesse CD rsrsrs. E também aquele com a temática do Arrendamento. Mas isso não tem nada a ver com Agailton, afinal, forró e arrebatamento não são exclusividades dele.

      Excluir
  5. Adorei a análise ( bem melhor que a do olhar Pentecostal ) Adirei o CD , realmente tá lindo , amei as canções : Sou O que Sou , vem Louvar e Ouve Senhor

    ResponderExcluir
  6. CD muito bom, errou no single!!! Concordo que "Sou o que Sou" e "Brilha" composição de Cláudio Louvor são as melhores do álbum! Ainda bem que não veio forró nem rap no meio! As canções do Anderson Freire sempre surpreende pela inteligência da ideia da mensagem... O Moisés Cleyton é bom compositor mas usa muitas frases feitas e se repete as vezes... A canção do Leandro Borges não fez diferença, é boa mas ele compõe melhor q isso! No geral, um cd bom mas q não ficará na marca dos grandes CDs... sabor de mel ainda ta lá!

    ResponderExcluir
  7. CD muito bom, errou no single!!! Concordo que "Sou o que Sou" e "Brilha" composição de Cláudio Louvor são as melhores do álbum! Ainda bem que não veio forró nem rap no meio! As canções do Anderson Freire sempre surpreende pela inteligência da ideia da mensagem... O Moisés Cleyton é bom compositor mas usa muitas frases feitas e se repete as vezes... A canção do Leandro Borges não fez diferença, é boa mas ele compõe melhor q isso! No geral, um cd bom mas q não ficará na marca dos grandes CDs... sabor de mel ainda ta lá!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso que gostamos de vê, as considerações do público.

      Excluir
  8. Cd Legal!
    Sou daqueles que leio as analises primeiro e depois ouço o CD, ou ouvindo o Cd. Quando criamos muita expectativa em alguma coisa, na maioria das vezes nos frustamos cm o resultado. Creio pra que, quem esperou e pensou demais criticam o Cd pois esperava algo de outro mundo!. Damares foi muito crioteriosa nas composiçoes e creio que acertou! Com certeza mais um disco de ouro, platina, diamante negro, perola sei lá!

    ResponderExcluir
  9. Este CD da Damares e o "Somos a Igreja" da Elaine de Jesus, são os melhores do ano, até então.

    ResponderExcluir
  10. CD Maravilhosooooooooo #obraprima
    +Obra Prima
    +Somos a IGreja
    Os Melhores de 2016

    ResponderExcluir
  11. Parabéns Melhor análise do CD Obra Prima.

    ResponderExcluir

Tecnologia do Blogger.