Recentes

A oportunidade que Dilma Rousseff precisava

O plano de governo de Marina Silva, divulgado na última sexta-feira(29), colocou a presidenciável em destaque nesses dois últimos dias. Primeiro, Silas Malafaia se manifestou contundentemente no twitter (leia aqui), depois foi a vez de Dilma Rousseff se aproveitar da deixa e tentar desestabilizar a candidata que mais cresce nas pesquisas.

No plano de governo divulgado, era mencionado que Marina Silva, se eleita, defenderia que o casamento gay virasse lei. Neste sábado, porém, a candidata publicou uma nota de esclarecimento sobre o programa.

"O texto do capítulo “LGBT”, do eixo “Cidadania e Identidades”, do Programa de Governo da Coligação Unidos pelo Brasil, que chegou ao conhecimento do público até o momento, infelizmente, não retrata com fidelidade os resultados do processo de discussão sobre o tema durante as etapas de formulação do plano de governo (comentários pela internet sobre as diretrizes do programa, encontros regionais e as dinâmicas de escuta da sociedade civil promovidas pela Coordenação de Programa de Governo e pelos candidatos à Presidência pela Coligação). Em razão de falha processual na editoração, a versão do Programa de Governo divulgada pela internet até então e a que consta em alguns exemplares impressos distribuídos aos veículos de comunicação incorporou uma redação do referido capítulo que não contempla a mediação entre os diversos pensamentos que se dispuseram a contribuir para sua formulação e os posicionamentos de Eduardo Campos e Marina Silva a respeito da definição de políticas para a população LGBT.  Convém ressaltar que, apesar desse contratempo indesejável, tanto no texto com alguns equívocos como no correto, permanece irretocável o compromisso irrestrito com a defesa dos direitos civis dos grupos LGBT e com a promoção de ações que eduquem a população para o convívio respeitoso com a diferença e a capacidade de reconhecer os direitos civis de todos." dizia a nota.

Dilma Rousseff se aproveitou deste acontecimento e já postou, em sua página no Facebook, na tarde deste sábado(30), uma nota em prol de seus interesses políticos: "A candidata à Presidência da República pelo PSB, Marina Silva, é um grande ponto de interrogação na política. Ontem (29), Marina Silva divulgou seu plano de governo. Não demorou muito para que as controvérsias das propostas da candidata viessem à tona. Tanto que, hoje (30), voltou atrás e substituiu o trecho sobre os direitos LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transsexuais) que integrava o documento."

A atual Presidenta da República, pasmem, não se posicionou sobre a questão do casamento gay, em vez disso fez uma breve retrospectivas das opiniões de Marina Silva sobre o assunto, chegando a citar o pastor Marco Feliciano em seu texto.

Contudo, o que chama atenção na publicação é um assunto paralelo ao casamento gay. Dilma Rousseff encerra a nota fazendo menção ao acidente que ceifou a vida de Eduardo Campos: "Além disso, Marina se utiliza do discurso de fazer uma “nova política” para justificar as velhas práticas usadas por ela e seu partido PSB. O uso do avião que vitimou Eduardo Campos e a desculpa de que “não teve interesse em questionar a procedência do avião”, adquirido por meio de empresas fantasmas, deixa claro o vazio deste discurso.".


O que estaria insinuando o autor da nota? Conseguirá os demais presidenciáveis desestruturar Marina Silva? Evangélica, Marina, saberá conciliar suas convicções religiosas e a árdua caminhada ao cargo que tanto almeja?

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.